Equilíbrio Diário

Eu prometi, já faz um tempo,  contar minha epopéia com a VIVO e toda a putaria da operadora em ativar o chip do meu iPhone. Como já havia ocorrido há algum tempo e minha preguiça ficou lerdeando o texto, acabei deixando-o de lado, pensando que nunca iria ao ar.

Pois bem, hoje eu fui de novo na loja da maldita operadora e, pela quarta vez, saí de lá frustrado. Derrotado, deprimido e molhado por causa das frequentes – quase diárias – chuvas paulistanas. Aliás, é a maior temporada de chuvas desde 1947 – que resolve aparecer sempre que eu saio de casa.

Subindo o elevador já comecei a pensar como representaria, da maneira mais carnal e física possível, o furacão de ódio e fúria que consumia todas as fibras do meu ser. Estava escrevendo o post na cabeça. Você nota minha impotência ao perceber que a maior forma de protesto de qual posso me armar é uma postagem num blog. Fora ligar para o procon.

Ainda puto, ligo o computador e já abro o WordPress, pressionando com força cada teclinha. Passadas algumas horas, minha irmã e meu cunhado fazem uma visita surpresa aqui.

Revelaremos isso posteriormente. É impressionante uma notícia inverte totalmente a situação de um dia. Starting from the beggining:

Antes da viagem ao México (registrada detalhadamente em posts anteriores), mais especificamente dia 26, eu fui na Vivo pela primeira vez comprar um chip novo, já que o antigo havia sido roubado, junto com meu aparelho Nokia de R$:99,00. Cheguei na loja lá pelas duas horas da tarde, confrontando uma paliçada de ferro que cobria as entradas do local. Mas que porra de lugar fecha às duas? Todos os atendentes foram almoçar simultaneamente no Bob’s? Voltei umas três horas depois e a filial da operadora estava aberta. Desisti de entender o horário de funcionamento daquilo; peguei a senha, tal qual um restaurante de praça de alimentação de shopping, e sentei-me naquelas banquetas sem reclínio.

15 minutos depois, eu vou até o atendente e falo que o chip foi roubado, blá, blá, blá e tempos depois eu consigo um chip novo por dez pila. Na hora de fazer o plano, o magrelinho me diz que o sistema travou, com aquele papo de técnico de informática que não tem idéia de qual é o problema. Corleone, o senhor meu pai, já atrasado pra qualquer compromisso da máfia, perguntou, impaciente, se o celular funcionaria. Após o sinal assustado de positivo do atendente, fomos embora sem realizar o plano de ligações/internet da operadora.

Dia seguinte, 27 de dezembro, fui de novo na loja. Lá, a mulher me avisa que é necessário o documento do titular da linha. Meia hora se passa eu volto com meu RG e minha carteira de estudante e a mesma mulher me diz que é necessário o CPF. Mais ou menos isso:

–  “Senhor, o documento necessário é o CPF.”
– “Você falou ‘documentos’, seria um favor enorme se me avisasse que era só o CPF. Eu sou menor de idade, não tenho CPF.”
– “Então não posso fazer o plano do seu celular.”
– “O titular da linha está em meu nome, se eu não tenho CPF isso significa que eu não poderei fazer meu plano de internet nunca?”
– “…”

Transerimos a linha para o nome do meu pai. Com o CPF e o comprovante de filiação do Don Vito, fui novamente pra lá. Negado de novo: A pessoa física deve estar lá mesmo com seus documentos em mãos. Eu, que transferi a linha pro nome da indivíduo e tem a posse dos documentos do tal (e comprovante de FILIAÇÃO!), não sou confiável pra fazer um plano de chip de celular.

Dia 28, antes de viajar, passei lá de novo. Fechada sem razão aparente.

Na volta da viagem, enrolei até dia 20 pra tentar fazer o plano. Fui no mesmo lugar e me disseram que eu poderia fazer o plano via telefone. Na ligação – após agonizantes minutos na musiquinha – o rapaz, de sotaque pernambucano e, aparentemente afeminado, me diz que não é possível fazer o plano via central de atendimento, teria que ser na loja aonde comprei o chip. É um jogo de batata quente ou o que? Bati o pé e falei que a atendente confirmou a possibilidade de fazer o plano pela central. Ele desconversou e começou a pedir algumas informações bizarras, como marca do celular, local aonde o adquiri e número de algo que eu nem sabia que existia.

Pra que!? É um plano DO CHIP! Esse mistério de perguntas fora de contexto deve ir para o túmulo junto com os atendentes de central de telefonia.

Quando o rapeiz tinha todas as informações desejadas, me diz que é de fato impossível fazer o plano por lá. Voltei a loja umas duas vezes naquele mesmo dia. De noite, entreguei o celular e o chip ao Vito, que me prometeu fazer o plano.
Na volta, ele me diz que o plano está feito e que num prazo de até 24 horas será ativado.

Dois dias depois eu olho pra homebrew do iPhone, com sua deprimente frase “Sem Serviço” estampada no canto superior esquerdo. Vou até o miserável estabelecimento comercial daquela operadora do capeta, dessa vez com Vito ao meu lado. A mulher que nos atendeu disse que não seria necessário nenhum documento para fazer o plano, sendo assim, meu pai deu as costas e foi cuidar de seus negócios. Depois de um tempo de espera, a mulher me diz que o chip não possuía LINHA! Sim, o plano estava confirmado, mas não havia linha registrada naquele chip. Bateu um aerolito na minha cabeça: A tia insistiu que não havia necessidade dos documentos, mas haveria necessidade agora, porque teriamos que fazer uma LINHA! A gorda, que eu espero e torço cegamente para que arda numa grelha elétrica, peidou na minha cara. E quem me dera que fosse no sentido literal. Mais um dia sem o iPhone funcionando.

O que vocês leram no começo do post encaixaria aqui. Sabe quando eu disse que uma notícia muda o seu dia? Pois é.

Como eu ia dizendo antes da fábula dramatizada do iPhone: Minha irmã e seu respectivo marido, por lei, meu cunhado, chegam de surpresa aqui em casa e me chamam pro quarto dos meus pais, por algum motivo desconhecido até então. Lá minha irmã fala, chorando, que estava grávida de um mês.

Rapaz, eu serei tio. Na hora veio um outro aerolito no meio da fuça. Eu terei um sobrinho. Eu finalmente poderei expôr esse arsenal de incopetências e idiotices em aulas práticas para alguém.
A Vivo, o chip ou o iPhone saíram da mente. Nem caiu a ficha direito de que minha irmã terá um filho.

Nem sei como descrever em palavras, estou realmente tonto pra passar isso pro blog. No mais, também não sei nem como finalizar, só sei que eu sou o tio mais novo que já conheci. Parabéns a minha família :D

Anúncios

3 Respostas

  1. vivo sucks

  2. CARALHO! VC TERA UM PUPILO1!!1!!1!11!!!!!! =D

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: